Igual

|




“hahahaha tô me divertindo aqui, irmão, assistindo ao oscar e vendo a timelime do jeito
que vc gosta... TODO MUNDO FALANDO A MESMA COISA.
é rir pra não chorar...”

Sob a licença de uma amizade de longa data, tomei a liberdade de reproduzir aqui as palavras que me fizeram rir essa manhã. O comentário veio parar na minha caixa postal depois que expliquei a um amigo o motivo de eu ter abandonado parcialmente a internet.

O exemplo que dei a ele foi com a Xuxa. Se ela morrer hoje, sua timeline (não a dela, a sua mesmo!) no facebook, twitter - ou seja lá que diabo de rede social você use - vai começar a pipocar assim: “a xuxa morreu”, “morreu a xuxa”, “lá se vai mais um ícone do nosso tempo: xuxa”, “adeus rainha dos baixinhos” e por ai vai. A rede social acabou virando um site – muito ruim - de notícias. Como se alguém entrasse no facebook pra se informar sobre o mundo. Daí, quando falta gente morrendo, nascendo ou fazendo escândalos, as pessoas resolvem falar da  própria vida. O que é ótimo, eu acho, já que me parece ser exatamente esse o objetivo da rede – falar da vida, trocar ideias, manter contato. O triste é quando o povo aparece pra dizer o óbvio: “que calor!”, “que chuva!”, “oba, é sexta!”, “droga, já é segunda!”... e coisas do tipo, que fazem a timeline parecer uma conversa de elevador - da pior qualidade. Todo mundo tem acesso ao calendário e quase todo mundo é capaz de checar um termômetro ou a previsão do tempo. No caso de quem mora na mesma cidade, nem isso é preciso – basta olhar pra fora que o sujeito já sabe que começou a chover. Ou, se o suvaco começar a escorrer e formar aquela pizza de suor na camisa, é evidente que faz calor. Não precisa me contar, eu vou saber porque vai feder!

No caso do Oscar, lembro que há uns 3 anos, quando o facebook ainda não era muito popular no Brasil, uma amiga escreveu algo sobre os filmes indicados. Comentei alguma coisa, ela respondeu e acabamos tendo um ótimo papo online sobre cinema, que poderia perfeitamente ter acontecido numa mesa de bar, não estivéssemos nós a um oceano de distância. No ano seguinte, um mês antes do Oscar, ela me escreveu “vamos comentar os filmes de novo no mês que vem!?” Fiquei empolgado com a ideia, mas, quando a cerimônia se aproximou, desisti. Estava tão massante ler todo mundo falando as mesmas coisas (nessa época o fb já tinha dominado o país), que preferi me privar da conversa e salvar os outros de mais um chato lotando a timeline com assunto repetido. Daquele dia até ontem, a situação só piorou. De novo, várias pessoas ficaram falando as mesmas coisas sobre o mesmo assunto. Ninguém precisava escrever, por exemplo, que a Merryl Streep ganhou o Oscar. Porque, se já não fosse barbada que ela ganharia, eu tenho tv, celular e meu browser abre múltiplas janelas. Ou seja, eu saberia da notícia pelos meios apropriados.

Às vezes tenho a impressão de que as pessoas querem desfilar conhecimento, mas a verdade é que a cultura, sozinha, deixou de ter muito valor. Aquela figura da pessoa culta, que sabe um tanto sobre variados assuntos, já não impressiona mais. Agora existe o google e, covenhamos, ninguém sabe mais do que ele. Poucos são os honestos que assumem, nos dias atuais, não saber alguma coisa. Se você começar um assunto e o outro não tiver ideia do que se trata, ele vai sorrir e balançar a cabeça enquanto pega o smartphone por baixo da mesa e busca a cola na wikipedia. Quando você terminar de falar, ele já terá toda uma opinião formada sobre o tema e vai, inclusive, tentar provar que sabe mais do que você. O que é uma perda de tempo.

Na faculdade de jornalismo tinha uma matéria muito chata, chamada Teoria da Comunicação. Entre vários assuntos relevantes que eu – vagabundo - detestava estudar, estava a Cultura de Massa ou Cultura Pop. Confesso que teria que procurar no google se quisesse explicar agora o que isso significa exatamente (e aposto que você pararia de ler quando eu começasse a citar os nomes dos autores e suas teorias prolixas), mas vou tentar minha própria explicação. Acho que todos temos discernimento o suficiente pra entender que Cultura de Massa é, obviamente, algo que tem a ver com bolo... ;) A cozinheira bate os ingredientes no liquidificador até ficar tudo igual, com a mesma aparência, a mesma consistência e o mesmo gosto. Quem olha a massa, jamais será capaz de definir o que é ovo, o que é açúcar, farinha, manteiga ou leite. E é isso o que as grandes mídias fazem com as pessoas: tiram a individualidade e consideram todas parte da mesma massa de gente, que vai receber a mesma informação, o mesmo tratamento, a mesma linguagem e formar a mesma cultura. Essa receita já existe há muito tempo. A diferença é que agora todo mundo pode contribuir com os ingredientes do bolo, usando a internet. O resultado é que a cultura que a gente divulga é igual à que a gente recebe. E ninguém aprende mais nada diferente.

Já que todos têm acesso à mesma informação, o segredo pra se tornar interessante é saber o que fazer com ela. É pensar fora da caixa craniana, tentar fazer e falar diferente e, na ausência de algo que valha a pena, aprender o imenso valor do silêncio. Nesse ponto eu gostaria de dizer que o fato de um filme mudo vencer o Oscar em 2012 é uma prova desse valor redescoberto, mas até isso seria um clichê, já que um monte de gente deve ter comentado a mesma coisa ontem à noite.

Quanto à vida pessoal, morando tão longe de casa, sou um grande entusiasta da possibilidade de saber pela internet como vão e o que estão fazendo os meus amigos e conhecidos no mundo todo. Mas eu queria saber mais das coisas que realmente importam, dos planos, dos sentimentos, das situações tristes e divertidas, das sensações diante do que está acontecendo na vida de cada um. Porque, a não ser que eles tenham morrido, vou presumir que todos os dias meus amigos acordam, comem, trabalham, pegam trânsito e voltam pra casa pra descansar e assistir tv ou pra se arrumar e ir pra balada. Contar isso diariamente é desafiar a nossa inteligência – a minha e a deles.

Esse post é dedicado a duas (sem ciúmes, por favor!) das várias pessoas interessantes que eu conheço. Inaie, recente amiga virtual (que vive me cobrando mais posts) e blogueira que consegue contar de forma deliciosa os pequenos acontecimentos diários de uma família expatriada no Bahrein. E Thiago Crespo, grande irmão e amigo de muito tempo, com quem tenho o imenso prazer de compartilhar algumas das mais saborosas conversas sobre amor, beleza e vida (e cachaça, mulher, futebol...).


Valeu a vocês e a muitos outros, por não deixarem o diferente morrer e por não permitirem que a gente viva sempre igual...

39 comentários:

Mari Hallak disse...

Seu Zé, com certeza a cultura que eu recebo lendo o seu blog não é de longe a mesma que eu divulgo no meu (se é que eu divulgo alguma coisa)! Hahahaha... E veja voce, hoje chove em Dublin.
Beijao!!!

Mr. Lemos disse...

Hahauhahua. Ainda bem que não é! Se fosse a mesma, nem vc me leria nem eu leria vc! E eu sairia perdendo muito, claro! Thanks for the wheather forecast, by the way... ;)
Bjao e leva o guarda-chuva!

Fernando disse...

Ernani, fiquei tão cheio dessa teoria da comunicação, que de teoria não tem nada, que fico indiferente as notícias, qualquer site que se abra ou canal de tv que sintonize, vai ser tudo igual, acho um saco e fico só vendo bobagem na internet, pra rir, pq se depender de noticia pra se alegrar, sinto muito mas não vai encontrar, o que vende noticia é desgraça ou fofoca, então fico indiferente. E a Inaie já leio faz tempo, nem me lembro por onde descobri, ela é muito engraçada, até coisas serias ela conta de forma que vire piada, já até tirei sarro dela, dizendo se ela não teria vontade de virar humorista ou roteirista, pq contar as coisas da forma como ela faz não é pra qualquer um, abraço.

Mr. Lemos disse...

Verdade, amigo! Só tem porcaria! E a Inaie é um barato! Excelente humor! Grande pessoa.
Abração

Anônimo disse...

pila,
só não desista do seu blog.
abs

Mr. Lemos disse...

Desistir eu não vou... Mas às vezes deixo de escrever pra não me repetir demais... Abs

Mirelle Siqueira disse...

eh, irmão, falou tudo. eu tb peguei bode da maneira como as pessoas usam a internet. o pior é que demorei para perceber o vazio de tudo isso um pouco tarde, quando vi, acho que até eu estava sendo levada pela onda do "falar sovre tudo em 140 caracteres".

bom, mas como nunca é tarde, assim que percebi que eu fazia parte da turma errada, tratei logo de abandonar o twitter e de modificar o meu FB. Dos 180 "amigos", não ficou nem a metade. so não deletei de vez porque, como vc mesmo disse, quando a gente ta longe o fb acaba servindo pra gente ter (e dar) noticias para quem a gente gosta. a questão é: eles tb estão interessados em nos dar noticias ou saber da gente?

muito boa a reflexão do seu texto. vou abrir uma pequena excessão e compartilha-lo.

:)

Mr. Lemos disse...

Irmã, outro dia alguém (acho que foi a Glenda) escreveu algo sobre isso. Será que as pessoas querem mesmo saber da nossa vida aqui longe? Digo, além das nossas mães? Hehehe. Sobre as redes, acho que nem tem certo e errado... a intenção do povo é boa, mas a gente acaba esbarrando nessa de ser previsível e chato. E dá pra ser legal com tão pouco... ;) Thanks, lindona! Bjao

Dany Cassar disse...

Super concordo com vc, qd alguem morre eu ate conto..1,2.3 overdose de fulano...=\
E o pior que p/ nos que moramos longe, acaba sendo uma chatisse querer saber da vida dos nossos amigos e todo mundo falar da morte, do futebol, das companhas sangrentas e do tempo...rsrsrs
Mas pelo menos de vez enquando vc aparece por aqui ;)
Bjs

Ka disse...

Quando fui ao Brasil dessa última vez posso contar nos dedos quantas vezes entrei na internet e acredite: Não doeu.

Depois de 3 semanas nesse ritmo, sem posts, sem ler os outros e me dedicando a vida “real” confesso que meu interesse pela vida online nunca mais voltou a ser a mesma.

Nem no blog, que tinha posts diários eu consigo atualizar com tanta frequência e assim vou me despedindo, aos poucos, sem dor e sofrimento de uma vida cybernética que não me pertence mais.

Com exceções, como que para ler textos como esse :)

beijo

Thiago Crespo disse...

Reflexão perfeita, meu querido. As pessoas estão cada vez mais excêntricas e menos interessantes. A necessidade de se expressar, mesmo que seja pra dizer bobagens, é reflexo da carência e da solidão de gente que tem mil e tantos amigos na rede, mas nenhunzinho pra dividir uma mesa de boteco.

Você foi brilhante, mais uma vez, e está certíssimo ao se afastar dessas coisas. Mas reitero as palavras do companheiro velista: não abandone o nosso velho Madruga.

Obrigado pela honra da postagem. O prazer é todo meu em conversar contigo, tenho muito mais a ouvir do que a falar.

Valeu, meu irmão!

Glenda disse...

Mais uma vez você tem toda a razão!!! Por isso eu não abandono a internet, pra ler pessoas inteligentes como você! Sério, eu também me incomodo com aquelas pessoas que ficam postando todos os seus passos, vou ali, vou aqui, fiz isso, fiz aquilo (só coisas "legais" ou para expressar a raiva por alguma coisa). Enfim, qdo vou ao Brasil também abandono a internet e sempre volto com a meta de ir deixando aos poucos... eu já fui mais ativa, mas ando cansada da banalização do cotidiano. Mas dai vem textos como o seu vejo que nem tudo está perdido! Beijocas!

Mr. Lemos disse...

Dany... hehe. É assim que eu sinto tb... dá uma preguiça só de saber que alguém morreu e lá vem a repetição toda... ;) Thanks, querida!

Ka, quanto tempo! Tb notei sua ausência na net. Tão bom falar com pessoas que eu admiro e saber que a rede não faz tanta falta assim na vida de mais gente. Acho que nós chegamos num limite digital e precisamos dar uns passos para trás pra garantir a humanidade.

Malandro, vc é um fanfarrão! Valeu pelas risadas dessa manhã. Foi a primeira coisa que eu li. E sobre a sua nova fase, eu quero mais é que vc continue mesmo a postar fotos e se fazer mais presente na rede. Ela fica muito mais interessante com vc. Te vejo no Barge!

Glenda, valeu! Sem rasgar seda, sinto o mesmo em relação ao que vc escreve. Vida inteligente, das raras, na internet. Aliás, estendo o comentários a todos os blogs da minha lista ali do lado, que eu curto muito. É o que faz valer a vida digital.

bjos e abraços

Rafa Alarcon disse...

Hoje mesmo, olhando todos os blogs que eu sigo, eu estava me perguntando porque o Mr. Lemos tinha sumido da internet, principlamente do facebook! A resposta serviu pra mim também! Só não vale esquecer dos pobres normais (e suportáveis) que ainda habitam esse mundo e consequentemente estão também inscritos no facebook! haha um beijão!

A Caminho da Irlanda disse...

Eu sou da velha guarda e demorei bastante para fazer blog, fb (nem entro mais mas vou rever), me achava a diferente, mas mesmo com todas as redes, divulgo somente o que costumo apresentar tb na vida real. Confesso que entro todos os dias para ver se vc postou algo. Como sempre vc falou e disse. Bjuss mil.

Mr. Lemos disse...

Rafa, querida!! Vc tb anda sumida de tudo! Que acontece? Te botaram pra trabalhar como escrava na ilha? Tá morando no hotel agora?? Hehe! Saudades!

Verinha! Vc é reservada e isso me parece bom. Nunca te vejo se expôr demais... sempre na medida. Thanks, querida.

bjos

Rogério Barbosa disse...

Putz Véio, concordo plenamente contigo. Não aguento mais ver babaquice na rede. São pessoas dizendo: Hoje é sexta, será que vai chover ? entre outras coisas. Muito triste, simples assim

Mr. Lemos disse...

Chato pra caralho, Zuza. Pior que as pessoas são bacanas... é que se deixam levar pela mesmice... Abs

Nivea Sorensen disse...

Engraçado ler sobre isso justamente num momento de desintoxicação particular. Do blog não, que é e sempre vai ser minha terapia, mas das redes sociais estou querendo distância. Estou cansada do que leio e decepcionada comigo mesma por perder tanto do meu precioso tempo com isso. Estou caminhando aos poucos, um dia de cada vez, como diria um alcoolatra. Ainda uso a rede para me comunicar com a família distante, mas já não leio todos os updates. Tb já não levo o celular para a mesinha de cabeceira. Esse sabado vou me desligar completamente por 24 horas, e assim espero aos poucos ir me desconectando.
Um beijo
Um beijo

Thaís Livramento disse...

Lemos,
Só não vou dizer que fiquei com ciúmes das duas pessoas que o post foi dedicado, porque AMO tudo o que é relacionado à Teoria da Comunicação (diferente de você!). Pra você ter ideia, até lecionei para esta disciplina por 4 semestres. rsrsrsrs...
Como dizem meus amigos do tempo de PUC: Thaís é complicada, é ágil, ativa, parece que é a prática em pessoa, mas é teórica até a tampa!
Será que é porque adoro fundamentar teoricamente os fatos?
Sou adepta ao pragmatismo, portanto, tá de parabéns com a exemplificação da mistura de bolo, já utilizei este modelo para alunos que tive (e como você, não amarrava os bigodes com a disciplina).

Quanto ao Facebook, Laweswell explicaria tal numa boa por meio do modelo que desenvolveu. Pena que pelo face, sabemos quem diz o que, através de que canal, a quem (quando não é indireta e nem sempre atinge o alvo! hahahahahaha), mas nem sempre responde a perguntinha do "com que efeito?". O face é bem legal pra brincar, mas também um tanto quanto vago. A maioria das pessoas estão ali, massificadas, sem reação e nem sabem a finalidade! Por isto que muitos feeds de notícias são atualizados, que nem hélice de ventilador!

Chega de falar, né? Daqui a pouco começa a redundância viciosa do face!
Huahushaushuahsuahus

Besitos,
TL. ^^

Danubia Matos disse...

Ernani, depois da sua explicacao ate gostei da tal da Teoria da cumicacao hahahah concordo plenamente com vc, esta cada dia mais dificil ler coisas q realmente valem a pena nas redes sociais, mas ainda bem q temos os seus posts!

beijos

Mr. Lemos disse...

Ni, sua alegoria foi ótima. Pra mim tb é uma desintoxicação... a gente mergulha nesse mundo e com o tempo até esquece que tem outras coisas lá fora. Torcendo pro seu processo terminar bem.

Tha, sua professora figurona! Belos argumentos! Acho que tá na hora de voltar a lecionar... ;)

Danubia, saudade! Thanks, querida! Espero que esteja tudo bem aí na ilha vizinha!

bjos

Mamãe Vera disse...

Nossa, eu me sentindo um ET, uma véia imbecilizada, pois tenho me afastao cadaa vez mais das teclas, lembrando e até sentindo saudades das antigas máquinas de escrever.
Só para ter idéia, essa semana agradeci parabéns q recebi o ano passado, sem nem perceber a passagem do tempo.
Ñ sendo coruja (mas já assumida, digo com tds as letras algo q é do interesse de tds: ñ deixe nunca seu blog, aliás vc ñ é e nunca será repetitivo.
Pelo contrário, vc bate na cara e no coração de tds, e nós apanhamos com gosto, pois ao invés de doer, suas palmadas nos fazem cocegas, e fazem tds rirem com gosto.
Tbm nos fazem refletirmos inclusive como agora: evolução ou preguiça de pensar e encarar a realidade usando aquilo q está cada vez mais distante no ser humano: SER HUMANO!
Tds os comentários são ótimos. Isso prova o qto seus seguidores são inteligentes.

Inaie disse...

Entao, voce nao vai acreditar! Juro que nao vai...

A casa ta caindo aqui ( tenho duas adolescentes, lembra?) e recentemente fui proibida de falar mald as minhas filhas no blog. Estou seriamente considerando abrir um blog secreto... e omitir nomes, pra poder continuar falando mal delas.
Mas isso nao tem nada a ver com o que me trouxe aqui hoje.

Eu vim aqui, por que depois de passar quase 10 dias sem falar do que eu realmente queria falar ( o barraco das duas), eu decidi publicar um texto que eu fiz para voce ( depois de levar uma bronca por nao ter contado a historia dos pescadores).


Ai que eu fui la, pesquisei, fucei e encontrei as respostas para as suas perguntas! AHA! Elas vao estar no post de hoje.

Ai vim aqui te visitar, li o post sobre o seu pai e quase infatrei quando comecei a ler esse. por que concordo em numero, genero e grau. E continuei, como sempre, me deliciando com a sua opiniao, adorando o seu discurso. Ate ver umas letrinhas em destaque. e os meus olhos foram direto la. E era o meu nome. sai da frente do computador pq achei que o meu egocentrismo estava definitivamente alcancando niveis inaceitaveis... voltei a ler. E vc estava mesmo falando de mim.

To aqui, toda gabola, rindo de orelha a orelha. Obrigada pelo carinho de sempre e por fazer propaganda minha. To ne sentindo uma super star...

:-)

Ana Zortéa disse...

ai exato, chega a dar uma preguiça enorme quando algum grande acontecimento se aproxima...fora as pessoas que acham que é super bacana vomitarem suas opiniões o tempo todo, assim, como se alguém se importasse muito.

sei lá, eu acho que dá pra falar de tudo, na hora certa e de um jeito certo. mas né, tem gente que tem o dom e tem gente que é só chata mesmo.

e viva as postagens com montagens de foto no facebook com aquelas piada de tiozão do churrasco.

(sou velha, não tenho paciência hihih)

Mr. Lemos disse...

Velhota, sua coruja incorrigível! Até eu - que não usei - às vezes sinto falta de uma boa máquina de escrever. A facilidade dos computadores deixa muitas pessoas menos interessantes...

Inaie... hahuahuahua. Vc me mata de rir até nos comentários! COmo é que a gente vai sobreviver sem te ler falando mal das meninas? Era quase como um ótimo seriado de tv... hehe. Vamos pensar numa saída pra isso, pelamordedeus!!! Acabei de ler as repostas lá! Thanks pela pesquisa, querida!

Vizinha, é de chorar, né? PQP, quanta perda de tempo. Nós, idosos e rebeldes, não merecemos isso!!! ;P

bjos, meninas

Patty disse...

Olá Ernani!
Sou fã-assídua do blog da Mirelle (sua irmã, a qual achei que era irmã mesmo, antes de descobrir que não de sangue, hehehe), onde no final do ano passado, tive o imenso prazer de conhecê-la pessoalmente aqui no Zeni Sushi, no encontro que teve das leitoras do blog.
Como ela fala muito sobre viagens e diz que se prepara olhando outros blogs também, resolvi dar uma "xeretada" nos blogs que ela lê para ver, se assim, encontrava algumas dicas bacanas de viagem - para a minha viagem. Na verdade, a programo há muitoooo tempo, mas só agora resolvi arregaçar as mangas e partir em rumo ao meu grande sonho, ou melhor, aos meus grandes sonhos.
Foi numa dessas que li seu blog e amei o jeito que escreve, bem como os assuntos relacionados, os quais são diversos e interessantíssimos!
Em particular, de acordo com meu momento, achei esse texto incrível! e resume muito bem o que se passa nas páginas de redes sociais. Tem gente que publica: "vou ali trabalhar e já volto". "Ai, hoje to triste"...E por aí vai. Daqui a pouco vai ter nego comentando: "vou ali limpar a bunda e já venho"! Pô, enche o saco isso! Tá ficando chato! Mas salvo os amigos que realmente publicam algo criativo, marcante e interessante.
Bom, queria deixar aqui o meu: CONCORDO COM VC! e parabéns pelo blog e os posts. Me divirto com vários deles. Continue assim!

Mr. Lemos disse...

Patty, que coisa mais querida! Valeu pelas palavras!! Pra mim é uma honra que vc tenha gostado de algo aqui. E essa sua grande viagem? Já fechou o roteiro? Acho demais vc estar correndo atrás dos sonhos e vou ficar aqui torcendo pra vc realizar todos eles. bjos

Bel disse...

Ó, considere uma coisa: Eu tô atrasaaaada, não li os comentários anteriores, e se eu repetir algo já dito e redito, releve!

Considere outra coisa: Sou blogueira viciada, então não dá pra não postar, e às vezes posto "vou ali e não sei quando volto"... e volto em menos de uma semana! :p

Passei 15 dias fora de casa, sendo 8 no mar, sem net completamente. Mas com notebook, e fazendo um diário de viagem, bem detalhado, com o que foi bom ou ruim, e com um moooonte de fotos, deixando pra publicar tudo de uma vez quando cheguei em casa. Deveria ser num blog específico pra isso, pra não encher o saco do povo, mas pra viajar 15 dias, tive que trabalhar demais antes, (e depois) e não tive chance de criar um blog separado pra isso. :p

Mas o fato é que também cansei do twitter, e como recebo no celular as mentions, respondo por lá mesmo a quem quer algo específico comigo, e nem soube que teve "novo twitter"... Você está certíssimo!

Quanto ao FB, pra mim ele é uma excelente vitrine de trabalho, já que os cursos de fotografia e meus serviços de fotógrafa são divulgados essencialmente por ali. Mas meu FB pessoal... serve somente pra fazer contato com a família e amigos distantes. Depois que descobri que posso "cancelar a assinatura" de "amigos"... minha TL ficou limpinha, que nem felicitações pelo dia da mulher eu recebi ontem!!! Rá! (Além disso, uso os joguinhos do FB pra desestressar!!!)

By the way, não publiquei ainda os posts da viagem no www.deixoler.wordpress.com ainda, ficaram todos no www.deixoler.com, que aceitava mais rápido na conexão-cocô. Até te mandei uma msg no twitter, mas agora entendi porque você não foi lá!

Último pedido: desculpa o comentário-monstro, e cheio de justificativas!!! Hahahahaha

Beijoooo

Patty disse...

Ah, estou gostando mesmo. Tens conteúdo e eu gosto sempre de aprender coisas novas, me interar em assuntos que ainda não sabia/conhecia, enfim.
Quanto à viagem eu já fechei sim. Farei Paris, Dublin e Roma. Não vejo a hora! Principalmente por Roma...Ai, ai, ai. Frio na barriga monster, pois vou agora dia 02 :)))
Continue escrevendo, sempre!
Bjs

Mr. Lemos disse...

Hahaha! Bel, que coisa boa receber um relato completo seu!! Hehe! Não se preocupe: vc é, sem dúvidas, do time dos interessantes da internet. Tô aguardando os posts de viagem no bom e velho endereço de sempre. Sou outfashioned... ;)

Patty, vc vai passar na minha ilha! Que maravilha! Dublin em si não é tão impressionante, mas os arredores da Irlanda são sensacionais! Cuidado com a bolsa em Roma!! ;) Boa viagem, querida!!!

bjos

Patty disse...

Obrigada por avisar ;)
Já comentaram mesmo que os romanos dão bastante "desconto de 5 dedos"!
Bjs

Vanessa disse...

concordo em genêro, número e grau.

e morri de rir!

o bom de ficar mto tempo sem passar por aqui (não que seja bom, sabe? mas...), e que qdo venho, quero ler todos os post's e você tem o poder de fazer rir e chorar em questão de minutos.

muito bom

Mr. Lemos disse...

Hehehe... vc é uma querida, Van! Pena que só aparece uma vez por mês... hehehe. bjos

Ana Luiza (blog pelomundo.org) disse...

Adorei este post!! Tudo se copia e ninguém quer ser mais original. Uma pena!!
No facebook tive que bloquear algumas pessoas que insistem em postar fotos e mensagens prontas a cada 5 minutos.
E como vc citou a Glenda, já me peguei pensando se as outras pessoas querem mesmo saber como estamos aqui. Por isso criei o blog. Assim não precisava mais mandar emails para tantas pessoas. Quem quiser saber de algo sobre mim, tem a liberdade de acessar o blog e ver (se quiser).
Parabéns pelo blog.
Abraços,

Mr. Lemos disse...

Salve Salve, Ana! Thanks pela visita! Ainda não tive coragem de bloquear as pessoas na rede... sempre fico pensando que um dia posso perder algo importante. Mas, com o tempo, acho que é inevitável fazer esse filtro... ;) Bjos e boa sorte aí na Suíça!

Nathalia disse...

Olá, esta é a primeira vez que venho aqui e dei uma "passeada" em posts mais antigos. Este transformou em palavras um sentimento de desânimo que eu sinto pelo uso que algumas pessoas fazem das redes sociais.

Mas para mim, o mais baixo nível que uma pessoa pode chegar em termos de postagens, é usar o Facebook (ou outra rede) para publicar indiretinhas que têm a intenção de atingir alguém ("mesmo que nem sempre atinja o alvo", como mencionado num dos comentários acima).

Acho até que, na maioria das vezes, o alvo sequer está preocupado com a mensagem dissimuladamente destinada a ele. E o "provocador" consegue, no máximo, transmitir a todos o quão patético é com seus recadinhos maliciosos.

O Facebook virou então uma arma (ou uma fuga) para que as pessoas - algumas delas, sejamos justos - deixem de discutir e resolver suas dissonâncias de forma adulta e, ao invés disso, ataquem outras por trás do véu da "segurança virtual".

Parece que as pessoas, enquanto indivíduos virtuais (ainda que não anônimas) acabam não somente por mostrar seu lado mais fútil, mas até suas fraquezas (como o modo infantilizado de lidar com as questões da vida, etc).

Assim como pessoas ao volante que, sob a proteção de seus carros, mostram seu lado grosseiro e violento, tenho visto certas timelines por aí que são de dar medo!

Adorei o post, ótima reflexão!

Nathalia disse...

PS- Há de se lembrar também, o quanto é difícil encontrar discussões maduras por aí. Parece que as pessoas não sabem mostrar sua opinião sem desmerecer, atacar ou ironizar a opinião do outro. Aí uma simples troca saudável de opiniões se transforma numa troca de farpas sem fim e sem sentido.

Gente, a intenção não é ganhar a discussão. Não tem quem ganha e quem perde, é uma troca, ambos deveriam ganhar. Simples assim.

Se não há espaço para o respeito, sejam, ao menos, elegantes.

Mr. Lemos disse...

Salve salve Nathalia!! Vc contribuiu em muito pra melhorar essa reflexão. Tenho a impressão de que as pessoas se preocupam demais em tentar fazer várias coisas superficialmente e não têm tempo pra pensar no que fazem certo ou errado. Uma pena. Seja bem-vinda e volte sempre pra bater um papo. Pra mim, é sempre um ganho ter pessoas esclarecidas por aqui...
bjos

 

©2009 Madruga em claro | Template Blue by TNB